No âmbito da Consulta Pública associada ao Censos 2021 (XVI Recenseamento da População e VI Recenseamento da Habitação), a Associação Vida Animal propôs ao Instituto Nacional de Estatística que passe a incluir no questionário dois temas de grande importância: os animais de companhia e o regime alimentar seguido.

Aferir o número e espécie dos animais de estimação que residem com cada família é importante, desde logo, por afectar directamente as condições materiais em que vive a família, mas também por permitir a quantificação dos animais de companhia nos lares portugueses e o seu papel junto de grupos específicos, como por exemplo os idosos que habitam sozinhos ou os sem-abrigo. Este tipo de informação, que só através dos Censos poderá ser obtida com fiabilidade, será de grande utilidade na discussão de temas como o IVA dos alimentos, cuidados e produtos veterinários, a dedução de despesas com animais no IRS ou o desenvolvimento de serviços públicos de assistência a animais de famílias carenciadas.

Ao mesmo tempo, dado o enorme impacto do consumo de carne na saúde humana e no ecossistema, a cada vez maior atenção jurídica aos direitos dos animais e o crescimento exponencial, em diversos países do mundo ocidental, da adopção de regimes alimentares que excluem a carne, torna-se fundamental perceber a implantação desses regimes em Portugal, o que terá impacto numa grande variedade de temas ligados à alimentação, tais como a agricultura, saúde, empreendedorismo, gestão de cantinas públicas, entre muitos outros.

As nossas propostas serão agora analisadas, a par de todas as outras recebidas, “tendo em consideração critérios de pertinência, relevância, operacionalidade, custos e carga estatística”.

Associação Vida Animal propõe ao INE que animais de companhia e regime alimentar passem a integrar Censos

Comenta este artigo