Esterilização de animais de rua

Por Carla Teixeira

Uma única cadela, ao longo de uma vida reprodutiva de seis anos, poderá gerar uma descendência de mais de seis mil animais; uma só gata sexualmente activa pode, em apenas dois anos, originar cerca de dois mil descendentes. Alguns destes animais terão tutores legais, casas e famílias, mas a maior parte viverá nas ruas, engrossando dia após dia o já gravíssimo problema de sobrepopulação animal, nomeadamente no que toca a animais errantes, silvestres e assilvestrados, e cada nova ninhada terá sempre um destino incerto…

Durante décadas, não só em Portugal mas na generalidade dos países que se viam a braços com este problema, quase todos em todo o mundo, a “solução” adoptada para resolver esta questão era apenas uma: a captura e o abate indiscriminado de cães e gatos, muitas vezes ainda muito jovens e perfeitamente saudáveis, que eram mortos apenas porque sim. Felizmente essa visão retrógrada do problema está a ser posta de parte, e para isso muito tem contribuído o intenso e abnegado trabalho de muitas associações que se dedicam à implementação de programas CED (Capturar, Esterilizar, Devolver) em animais de rua, abandonados, negligenciados e carenciados.

O CED é o único método comprovadamente humano, seguro e verdadeiramente eficaz de travar o crescimento desregrado das populações de animais errantes. Mediante a captura dos animais, a sua posterior esterilização e a devolução ao seu habitat original, assegura-se que cães e gatos passam a ter uma muito melhor qualidade de vida, sendo diariamente acompanhados por cuidadores que lhes asseguram alimentação de qualidade e acompanhamento veterinário sempre que necessário. Depois de esterilizados, estes animais tornam-se mais calmos, menos dados a lutas territoriais ou de índole sexual, e também mais saudáveis. Na verdade, está comprovado que a esterilização evita as principais e mais graves doenças do sistema reprodutor, diminuindo o risco de doenças contagiosas e até de acidentes, já que os animais tenderão a assentar num mesmo local, onde têm acesso a alimentação, e deixam de vaguear pelas ruas em busca de comida e de companheiros sexuais, podendo a esperança média de vida de um cão ou gato esterilizado aumentar para o dobro!

Vantagens para os animais e para a comunidade

As vantagens da esterilização para os animais – machos e fêmeas, pois de nada servirá esterilizar só as gatas e as cadelas, “obrigando” os cães e gatos a percorrer maiores distâncias em busca de parceiras sexuais, incorrendo em maiores perigos e acicatando as lutas entre eles – são evidentes, quer no que toca à sua saúde, quer à sua segurança e, por essa via, à qualidade de vida no geral.

Cadelas e gatas gozarão de melhor saúde, já que a remoção precoce do útero e dos ovários inviabiliza o surgimento de cancros naqueles órgãos e diminui enormemente a propensão para tumores mamários, que nas gatas são malignos em 90 por cento das situações. No caso de cães e gatos inseridos em contexto familiar, o risco de fuga será praticamente anulado, e os animais viverão mais calmos e seguros dentro de casa; no caso dos animais de rua, sendo esterilizados fixar-se-ão nas suas colónias, sendo alimentados por um cuidador e deixarão de percorrer grandes distâncias com o objectivo de assegurar a reprodução.

Mas também para a comunidade envolvente haverá vantagens: esterilizando os animais, as colónias tenderão a diminuir de dimensão, já que não haverá novas ninhadas, e serão colónias organizadas, sem lutas nem barulho, e mais limpas, sem comida espalhada ou atirada pelos vizinhos de qualquer maneira. Sem ninhadas indesejáveis nem comportamentos sexuais característicos, os cães tenderão a tornar-se mais calmos e dóceis, e os gatos deixarão de fazer marcações territoriais com urina, que terá também um odor menos intenso.

Não deixe, por isso, de esterilizar todos os seus animais domésticos! Estará a ajudá-los e a ajudar-se, garantindo um ambiente mais confortável, mais saudável e mais tranquilo a toda a sua família.

spayedcat

Fonte: http://support.washhumane.org

Comenta este artigo