Consulte abaixo as respostas dadas pelo candidato do Partido Nacional Renovador à Câmara Municipal de Loures, Leandro Souto, às questões colocadas pela Vida Animal no âmbito da iniciativa Autárquicas 2013 Pelos Animais. Pode aceder aqui às respostas de outros candidatos.

1. Compromete-se a adoptar uma política de não abate no canil municipal e a lançar um programa de esterilização dos animais de rua do seu município?
A política de não abate no canil municipal passará por iniciativas municipais de sensibilização, um programa de incentivo à adopção e eventos de participação gratuita por forma a aproximar os animais das pessoas e vice-versa, envolvendo as associações dedicadas ao efeito. O programa de esterilização dos animais de rua está incluído nas medidas que preconizamos, no entanto, devemos salvaguardar que os moldes da sua aplicação dependerão da realidade logística e financeira com que nos depararemos aquando da tomada de posse, uma vez que muitos dos dados necessários para definir uma estratégia de actuação objectiva não são disponibilizados pela actual gestão autárquica.

2. Compromete-se a não autorizar a instalação de circos com animais nos espaços públicos do seu município?
Comprometemo-nos a assegurar que, sendo colocados perante a possibilidade da instalação de circos com animais nos espaços públicos do município, serão tidas em conta as condições que os proponentes providenciem aos animais envolvidos, assim como a salvaguarda do bem estar dos mesmos, sendo que para o efeito os proponentes terão obrigatoriamente que ser sujeitos a uma inspecção prévia, pormenorizada, por parte das autoridades municipais, assim como a auditorias aleatórias a realizar caso o evento seja autorizado. Estes serão aspectos incontornáveis que pesarão decisivamente na decisão deferir ou indeferir o pedido.

3. Compromete-se a não autorizar a realização de eventos tauromáquicos nos espaços públicos do seu município?
O município não dispõe de espaços dedicados à realização desse tipo de eventos, não está previsto que venha a dispor, nem se verifica uma tendência histórico-cultural ao nível do município que nos leve a crer que a actividade tauromáquica venha a assumir um papel na vida activa do município. No entanto, colocados perante essa possibilidade, e tratando-se de uma questão sensível e nova para o município, seria abordada com o maior cuidado, não me parecendo viável a sua realização. Poderia, no limite, ser alvo de referendo municipal, vinculativo para solicitações futuras deste tipo de eventos.

4. Compromete-se a disponibilizar uma opção vegetariana em todos os refeitórios sob gestão da Câmara Municipal?
A sugestão é bem acolhida e enquadra-se no tipo de política que queremos promover no município de Loures. Embora não tendo conhecimento profundo da realidade logístico-financeira do município, por não ter sido disponibilizada, asseguro que está por nós contemplada uma melhoria qualitativa da alimentação fornecida pelo município, apostando até em produtos fornecidos por produtores locais, numa aposta clara na qualidade e diversidade de produtos de produção lourense. Mas a prioridade será providenciar uma alimentação adequada a tantos e tantos munícipes que, sofrendo da diabetes ou de hipertensão por exemplo, males que assolam uma importante percentagem da população nacional, não têm outra escolha senão regrar a sua alimentação de acordo com a condição de que padecem, evidentemente que, tendo uma tão vasta oferta em qualidade alimentar, que englobará inclusive produtos biológicos, não será difícil à ínfima mas não menos considerada percentagem de população que opta por uma alimentação vegetariana, encontrar alternativas que satisfaçam as suas necessidades em qualquer refeitório municipal. Será uma medida viável, até porque não me parece envolver custos acrescidos, envolve antes uma mudança na qualidade das opções a disponibilizar nos refeitórios sob gestão da Câmara Municipal, mudança essa vista por nós com muito bons olhos, com o acréscimo de uma tal medida favorecer a produção agrícola do nosso concelho. Afinal, à imagem dos refeitórios municipais, Loures tem opção!

Comenta este artigo